damiaoeciadeteatro@gmail.com

Mês: abril 2016

Dia 27 – A última presepada pelo Vale!

Cruzeiro e seu lindo museu.  Com seu comércio agitado e seu centrinho povoadamente animado. Sua praça… cheia de canteiros, palco, estatuas, fonte!!! – Ih, lascou! Onde é que vamos montar a roda, José? – Ali em baixo da tenda que fizemos para vocês. E tentamos englobar os canteiros, decorar os jardins, se aproveitar da estrutura…
Leia mais

Dias 25 e 26 – Da necessidade de continuar

Cruzeiro tem um Museu, que Deus Meu. Árvores centenárias, daquelas que precisam de 10 pessoas para abraçar. Que árvore. Imagina só a raiz? Imagina como encorpa a terra com seus braços subterrâneos. Como é soberba a sua cúpula, que arquitetura nenhuma já imitou. Como até o céu se tomba, e só aparece em frestas, pequenas.…
Leia mais

Dia 25: Pequenos demônios de Dionísio

Lá em Roseira, um praça tão simpática, como o próprio nome da cidade. Não havia igreja na praça, apenas uma ali no próprio quarteirão, pequena, sem graça. Talvez porque Aparecida esteja tão perto que não compense gastar tijolo em uma igreja grande para a simpática praça de Roseira. Os fiéis tem do lado um templo…
Leia mais

Dia 22: A primeira vez eles nunca esquecem

Sexta-feira, 11 de março de 2016, era o dia designado para nossa apresentação do Damião na menor das onze cidades escaladas para nosso projeto. Com uma área territorial de 51km² – uma boa ideia de área –  e uma população com pouco menos de 5 mil habitantes, segundo a tia Wikipedia, ficamos levemente assustados ao…
Leia mais

Dias 20 e 21: Sobre barulhos, poeira e lustre – a oficina de Lorena

A oficina de Lorena aconteceu na Casa da Cultura, situada em uma simpática rua de paralelepípedos que leva o nome de Viscondessa de Castro Lima, n° 10. O lugar, um belíssimo casarão construído no século XIX, muito bem preservado, abriga a Casa de Cultura de Lorena desde 1962. A título de curiosidade, já pernoitaram nesse…
Leia mais

Dia 19: Um pequenino grande fã

Ao montar o cenário Eis que surge distante um menino meigo de olhar penetrante. Ao se aproximar De mansinho e na espreita cuidadosamente, dizia: – eu já vi a Damião e Cia! Tinha lá seus seis anos de altura, Mas sua desenvoltura era a forma de gente grande. Era impressionante! Ao ver o Damião aquela…
Leia mais

Dias 16 e 18: Crianças, crushs e coelhos

Em Guaratinguetá, duas apresentações. Da primeira, no Parque Ecológico, tão lindo, quero narrar dois momentos. O primeiro é branco e peludo, pois se dá na forma de um coelho que dormiu na lama bem próxima ao palco. O palco, digo já, também bonito. Quase grego, quase lindo. De fundo, um lago, avisam por lá, profundo.…
Leia mais

Dia 17: Tá tranquilo, Tá favorável…

…ou O dia que descobri a existência da Tromba D’água Domingo de folga!!! Dormir até tarde? … Claro que não! Levantamos cedinho, tomamos um farto café da manhã do hotel com todos à mesa ( coisa rara até então) e partimos de Aparecida até Taubaté para comparecer ao convite do Jongo Crioulo. Como já tínhamos…
Leia mais

Dias 14 e 15: Oficina em Guará – Intercâmbio de Estações

A nossa oficina em Guaratinguetá foi nos dias 03 e 04 de março. Agora, exatamente um mês depois, estou escrevendo esse post. Não porque eu precisei de tempo para digerir tudo o que se passou, mas porque esqueci, e procrastinei ao máximo minha tarefa. Sem mais delongas, aí vai. A oficina foi numa antiga estação…
Leia mais

Dia 14: Cachoeira Paulista

Apresentação legal. Ameaçou chuva, fomos para debaixo de um palco coberto, no meio da praça. Pouco público, mas bem participativo. Alguns moradores de rua. Um sentado bem ao lado da roda, que tocava uma gaita sempre que tocávamos alguma música. Outro em pé, de fora do palco, comentando sempre. O da gaita, que era um…
Leia mais